Ir para o conteúdo

TIE-Brasil

Voltar a TIE-Brasil
Tela cheia Sugerir um artigo

Grupo Abril Educação demite diretores sindicais em retaliação à luta pelos direitos dos trabalhadores

20 de Setembro de 2013, 16:17 , por Bertoni - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 214 vezes
Licenciado sob Copyleft

No mês de agosto o grupo Abril Educação violou a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) ao demitir dois de seus trabalhadores – ambos diretores sindicais do SEEL (Sindicato dos Trabalhadores em Editoras de Livros): Joseval Fernandes, com mais de 30 anos de empresa, e Aparecido Araújo, com 26 anos de editora. As demissões dos dois funcionários contrariam a legislação que garante a estabilidade provisória ao dirigente sindical.

A diretoria do SEEL entrou em contato com os gestores do grupo para que uma reintegração dos funcionários fosse negociada, mas a empresa manteve a sua resolução arbitrária mesmo após ser alertada de que poderia ser alvo de processo judicial.

O grupo Abril Educação é um dos maiores vendedores de livros didáticos para o governo, ou seja, sustenta-se com parte do dinheiro público, mas desrespeita a legislação da qual se beneficia. Contraditório, para dizer o mínimo. Por que será que o grupo Abril Educação se valeu do artifício truculento para afastar os diretores sindicais de seu conglomerado editorial?

A atuação dos líderes sindicais sempre esteve presente nos quadros de funcionários do grupo Abril Educação e das demais empresas, por que trata-se de um mecanismo de equilíbrio de forças das relações entre capital e trabalho.

A atitude do grupo Abril Educação teve como princípio a limitação dessa atividade sindical dentro da editora, deixando os trabalhadores sem defesa legítima.

Mas qual seria o temor enfrentado por uma empresa que respeita os trabalhadores, e oferece a eles boas condições de trabalho?

E mais: por que uma empresa que atua dentro dos princípios trabalhistas optaria por reprimir a atividade sindical, em vez de aceitá-la como parte do processo democrático?

O SEEL lamenta a atitude da empresa e enfatiza que tomará as medidas cabíveis em respeito ao mandato dos dois diretores.

Fonte: SEEL


0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar